Archive for ‘:Umas e outras:’

07/11/2010

57 :: FAZER AMIGOS EM VIAGENS…

por 1000 coisas para fazer antes de morrer

…AMIGOS MESMO, DE VERDADE

A conhecemos em março de 2006, em Fernando de Noronha…

…em uma trilha chamada Caieira-Atalaia – que é mais uma maneira de fazer uma coisa fácil de um modo mais difícil mais muito mais legal – em vez de ficar na fila esperando por horas os 15 minutos de banho na piscina de Atalaia resolvemos fazer o caminho inverso e andar 6 km (e algumas horas) debaixo de um sol escaldante, pisando num chão de pedrinhas redondas de origem vulcânica, curtindo lindas vistas e piscinas mais lindas que a famosa do destino final.

TRILHA SOFRIDA, QUENTE E...LINDA

Pausa. Foi nesta trilha que eu e meu marido decidimos que este tipo de programa com ele nunca mais. Ele odeia isso, eu adoro – melhor, nem sei se adoro tanto, faz tempo que não faço e não sei se tenho tanto pique.

No nosso grupo formado por trekkeiros havia uma mulher sozinha. Depois de meia hora já deu para perceber que ela era de longe a pessoa mais interessante da turma, super moderna e com um pique de dar inveja em qualquer um. Ótimo papo e companhia.

Dali emendamos mais um programa muito legal com parte da turma: mergulhar com tartarugas na Baía do Sueste.
Agarramos num papo com nossa nova amiga. Depois de terminado o programa o assunto não tinha acabado, fomos ver o pôr do sol a três. E como o papo ainda não tinha acabado marcamos um passeio de barco para o dia seguinte. Neste passeio ficamos conversando coisas do mundo, do outro mundo, de tudo. Descobrimos que somos de religiões muito diferentes mas acreditamos nas coisas de um modo muito parecido. E conversando mais, decretamos: somos almas gêmeas.

De lá para cá mais nos desencontramos que encontramos mas continuamos nos achando soul mates.

Uma oportunidade de emendar um evento do trabalho + passagens super baratas para o Rio (onde ela mora) foi perfeita para passarmos um tempo juntos (eu, ela e meu marido) e falarmos das coisas profundas que habitam nosso coração, coisa de velhos amigos que nunca se veem.
Passeamos bastante no estilo carioca: caminhadas com vistas de cartão postal, exposição no CCBB, massagem, gafieira no happy hour, noites no Iate Clube e conversas deliciosas na sala de seu apartamento tão carioca, cheio de plantas.

O RIO DE JANEIRO QUE EU VI COM ELA

O assunto? Todos, principalmente suas viagens loucas e seus amores.

Descobrimos, juntas, mais afinidades. Muitas afinidades.
Descobri, com meu marido, que ela é a anfitriã ideal. Que te recebe com uma comidinha perfeita e jura por Deus que o quarto que você está dormindo não é o dela (mas eu sei que é). Por outro lado não deixa de ir à sua meditação e ginástica, essenciais em sua vida. Enquanto isso nos deixa livres para viver.
Nos buscou no aeroporto por julgar muito ruim não ser recebido pelo amigo na primeira vez que vai a sua casa, não precisava.

ASSIM SÃO AS FOTOS DE PESSOAS SUPER ATIVAS, FAZER O QUE?

Antes de ir embora, em agradecimento ao carinho, fiz um jantar bem gostoso.

E no dia seguinte pedimos um táxi bem cedinho para nos levar ao aeroporto e ela continuar dormindo um soninho bom. Novos encontros já estão prometidos e acontecerão.

É isso. As amizades deveriam ser tão simples quanto esta história. Creio que elas são formadas de um pouco de cada coisa, mas acima de tudo de um encontro especial marcado na agenda de Deus.

02/07/2010

38 :: CHAMAR AS CIDADES…

por 1000 coisas para fazer antes de morrer

…POR SEUS NOMES ORIGINAIS

A regra não é clara...

Tá aí uma dúvida, não sei se é para SE FAZER ANTES DE MORRER ou NÃO SE FAZER ANTES DE MORRER.

Só sei que o preâmbulo para este post acaba de perder o sentido. Era a copa do mundo que se foi para nós, hoje a tarde, num desesperador Brasil 1 x 2 Holanda. Fiquei triste pelo Dunga (é que gosto de gente turrona) e fiquei triste pelo povo que gosta de uma boa festa (gosto de ver gente feliz, seja lá pelo que for). E é sempre bom ganhar algo. né?

Mas bem que tinha gostado deste link aqui ó: pra falar os nomes dos jogadores da maneira corretinha. Achei muito legal! Olha que fofo, agora o Galvão Bueno pode falar tudo direitinho, sem vexame.

Acho bacana chamar as coisas pelos seus nomes certos e isso se aplica as cidades. Sei, sei. Cada idioma/cultura achou seu modo de chamar a coisa. Mas isso me incomoda, eu não queria ser chamada Clódian ou Anny ou seja lá o que for. Mas aqui em casa rolam umas discussões por causa disso: Florença ou Firenze? Nova Iorque ou New York? E Londres? Em português é Londres, em inglês é London e em italiano é Londra. E tem também as simples diferenças de grafia: Fez ou Fès? Marrakesh ou Marrakech? (que se pronuncia algo como Moraguedche).
E Brasil e Brazil? Não gosto, pra que trocar uma letrinha sem importância? Tenho certeza que tem uma explicação mais objetiva disso, tenho certeza.

Um desconto para países que não usam o alfabeto ocidental e ainda assim fica a dúvida: escrever e chamar os nomes de cidades pelo nosso idioma ou pelo nome original?

Este tem desconto (foto: MPD01605 Flickr)

03/06/2010

29 :: SE IRRITAR COM ANALOGIAS…

por 1000 coisas para fazer antes de morrer

…QUE SE FAZEM COM AS ATRAÇÕES TENTANDO FAZÊ-LAS PARECER DIFERENTES (OU MELHORES) DO QUE SÃO!

Vou fazer uma listinha de coisas feias, muito feias que as pessoas fazem pra fazer as outras de trouxas:

Recife antigo, a Veneza Brasileira: Pára! Dá mesmo pra comparar uma coisa com a outra?
San Gimignano, a New York medieval: Tudo por causa de um suposto skyline “igualzinho”. San Gimignano não é NY e NY não é San Gimignano, ponto final. São coisas lindas – e diferentes.
Serras Gaúchas, a Toscana Brasileira: Adoro as Serras Gaúchas, mesmo. Mas daí pra chamar de Toscana já é exagero, né?
Caribe Brasileiro: Aff, são vários os lugares com mar verdinho que se auto intitulam Caribe brasileiro. O único lugar de areia branquinha e mar azulzinho que já vi neste país foi na Ilha do Campeche, em Florianópolis, mas a água é um frio do cão. O Brasil tem mares lindos, águas verdes, mata atlântica…tem até Noronha, de origem vulcânica. Mas a gente não tem nada de Caribe.

Também não gosto de:
Strogonofe de chocolate (strogonofe é prato salgado, qualquer outra coisa parecida e feita com chocolate chama e sempre se chamará pavê ou torta), lazanha de pão (lazanha pra mim consiste em massa de macarrão em tamanho grande, recheio com queijo e molho – tudo ao forno, please – pão com recheio é sanduíche, se vai ao forno é misto quente), carpaccio de abacaxi (carpaccio que se preze é de carne, no máximo peixe. O resto podemos chamar de “tiras bem fininhas de”)

Assinado: a chatinha, que não tem nada contra as falsas Paris e Veneza de Las Vegas. Não se levando a sério, pode tudo!

 

16/05/2010

20 :: FAZER COMPARAÇÕES

por 1000 coisas para fazer antes de morrer

…ENTRE CIDADES E MULHERES

Gostar ou não gostar de um lugar é como se apaixonar por uma pessoa. As vezes, sem nenhum motivo especial pega. Em outras tem tudo pra dar certo, mas não vai pra frente.
Estive pensando nisso, em como as cidades parecem pessoas – mais especificamente com mulheres – com sua vida própria, com suas tensões, interesses, humores, charme e beleza.

ROMA
É uma senhora, das chiques.
Mas não se iluda, esta senhora pode pirar (com a ajudinha de algumas taças de vinho, lógico). Ela não chega a se descontrolar totalmente e nunca perde o charme, qualidade que lhe é nata.
É daquelas senhoras que envelhecem bem, com uns toques muito sutis aqui e ali, só pra dar uma ajudinha para o que já é bonito. O grande cuidado é não deixar claro que houve uma intervenção, afinal, ela acredita que deve-se envelhecer com muita dignidade.
Ela se veste bem, a danada,  e mesmo sendo uma senhora ainda tem aquela cruzada de perna estilo Sophia Loren, só pra não perder o encanto e se lembrar que é (e sempre será) uma bela Donna.

BARCELONA
Uma mulher moderna, não muito velha – nem muito nova.
Ela usa óculos de aro grosso, quadrado e escuro. É meio petista, sabe? Seu único defeito. Tem lá seus ideais e faz o tipo meio anti social em alguns meios (característica polêmica esta).
Talvez você não se apaixone por ela de cara. Ela não chama a atenção pela beleza mas quanto mais você a conhecer mais vai se encantar. Três dias intensos serão o suficiente para nascer uma história de amor ou pelo menos uma paixão. É que esta é uma daquelas inteligentes – e interessantes.
Ela sabe das coisas, se veste de um modo pouco convencional mas só o que lhe cai bem (e mesmo se não lhe caísse não liga muito para a opinião alheia) só não abre mão do seu estilo.
E vou logo avisando, ela pode ser um pouco agressiva a primeira vista, a intenção é mesmo espantar alguns indesejáveis. Mas é uma mulher do mundo e se você se der ao trabalho vai perceber que pode ser bem simpática.
Uma informação muito importante: ela não dorme.

PARIS
Esta mulher é top, top model. Magérrima. Não é falta de confiança (longe disso!) mas ela faz questão de estar dentro de alguns padrões.
É bem possível que você se apaixone de cara pela sua beleza e seus clássicos olhos azuis. Ninguém é perfeito, o defeito dela é ser um pouco superficial mas nem faz questão de ser diferente disso. É bem feliz com o que tem e não inveja nenhum atributo que outra possa ter. Exibida, só pode se dar ao luxo de fazer isso porque é bonita.

MARRAKESH
Esta mulher é bem complicada. Só dá pra conhecê-la se for aplicado. Por baixo de panos e panos existe uma mulher extremamente interessante. Aparentemente é um pouco recatada e tem uma inclinação ao puritanismo, mas é só fachada. Não espere dela grandes noitadas, não é dada a isso por cuidar muito bem de sua imagem.
Aposte em seus temperos picantes, se não for acostumado cuidado, pode até te fazer mal. Mas depois que se acostuma pode virar um vício e um dia você pode se pegar suspirando de saudades dela.

SÃO PAULO
É uma mulher louca, de múltiplas personalidades e bipolar. Uma verdadeira perdição.
Ela muda de cara toda vez que precisa e isso faz dela uma pessoa pouco confiável. Pode ser patricinha, suburbana, perua, sacoleira, chique e barraqueira! Ela só se preocupa com uma coisa: estar na moda. Pronto, São Paulo é uma drag queen!