Posts tagged ‘Barcelona’

02/03/2011

74 :: SHOW DAS FONTES MÁGICAS…

por 1000 coisas para fazer antes de morrer

…DE MONTJUÏC, EM BARCELONA

Chegada complicada em Barcelona. Uma mala supostamente extraviada, registrada como perdida e encontrada (por mim) em um quartinho obscuro. Lojas fechadas para comprar uma pilha esquecida em casa, e apenas aquele dia para ver o espetáculo de águas na La Font Mágica, que fica nas escadarias e alamedas em frente ao majestoso Museu Nacional d’Art de Catalunya, lá em cima, em Montjuïc. Era o último, aos domingos, antes do inverno.

Desistimos da tal pilha – e de comprar um cartão telefônico para avisar nossos pais da chegada (dado importante em tempos de barradas de brasileiros na entrada à Espanha) e pegamos nosso lugarzinho, no guarda corpo, bem em frente a fonte.

É brega, não vou mentir. Porém, um brega bonito – e bem feito. Tá bom, é uma coisa impressionante.
Imagina. Uma escadaria enorme (uns 200 ou 300 metros, talvez?), repleta de fontes, seguida de um patamar, onde mais gente se aglomera, e enfim a Av. de la Reina Maria Cristina, que tem um canteiro central de fontes e vai dar na Plaça d’Espanya.

SEM A FOTO CERTA FICA DIFÍCIL, MAS DÁ PARA IMAGINAR ESTE CAMINHO TODO ILUMINADO POR FONTES DANÇANTES, COM FORMATOS E CORES DIFERENTES?

A música começa tímida, com umas aguinhas pulando aqui e ali e vai ganhando potência, cor, ritmo…bem sincronizado. É uma pena, eu não tem “a” foto da coisa grandiosa (não tem nada a ver com o shor de águas de Poços de Caldas. Não que eu não adore Poços, mas não é exatamente por seu show das fontes luminosas).
O repertório varia de eruditas a pops e culmina (imagina?) em Barcelona, com Fred Mercury e Montserrat Caballé. Mais clichê impossível, e emocionante. Pense no primeiro soprano, a todo pulmão: “Barceloonnaaaaaaa. BarceloonnaaaaaaaAAAAAAAAAAA”.

Resultado: nó na garganta, os olhos se encheram de lágrimas e eu disfarçando: “Oi, vamos ali, comer umas tapas!” ou então “Olha, o passarinho, que bonito.” ou no clássico “Entrou um cisco no meu olho.”

E meu amor por aquela cidade, que já havia comecado bem, no passeio de fim de tarde em Montjuïc, estava totalmente consolidado.
Sou facinha, facinha…

Anúncios
22/02/2011

72 :: TOMAR UM CHÁ DE AMÊNDOAS…

por 1000 coisas para fazer antes de morrer

…EM UM SALÓN DE TÉ EM CÓRDOBA

Sempre digo que costumo imaginar algumas as coisas bem melhores do que elas realmente poderiam ser. Não custa repetir, quem sabe tomo vergonha e perco o hábito.

Um exemplo clássico: noite em Córdoba, pouca vontade de jantar e uma oportunidade para fazer uma daquelas coisas que estava na listinha de turista: tomar um chá em uma teteria andaluz, com doces árabes, clima incrível, odaliscas, véus esvoaçantes, tambores de tribos espanholas nômades falando um raro dialeto marroquino, enfim…minhas viajadas.

Na manga, o Salón de Té, um lugar super bem indicado. Vale a pena entrar no site, a música é tão bonita…

Bem, o lugar era mesmo bonito, tinha uma linda carta de chás e sucos exóticos.
Pena que faltou a música, as dançarinas, os véus, o clima. Faltaram as pessoas também e a boa educação do cara que atendeu. Uma outra coisa que faltou foi o tal suco de romã que meu marido pediu, feito com um tipo de groselha (oi?) mais artificial impossível. Os doces eram assim-assim, normais. Nem de doces árabes eu gosto…mas ele adora, tadinho.

Bem, o chá. Fomos lá para tomar chá, certo? Pedi um chá de amêndoas.
Foi o melhor chá de todos os tempos, de todos os chás conhecidos no mundo mundial. Era o mesmo que encher a boca com uma cápsula morna de amêndoas liquidas. E  o aroma? Divino. Nunca pensei em gastar tantos adjetivos em ervas que ficam de molho em água quente.

O resto foi uma grande roubada. Ainda bem que nosso humor estava estratosférico e tivemos um acesso de risada que custou a passar. Cada puxada de canudinho no suco fake de groselha feita na China (não vi, mas tenho certeza que era feita na China) que meu marido dava era um acesso de risada mais descontrolado, e besta, daqueles de quem não sai de casa só para se dar bem.

Com tudo perdido tiramos muitas fotos (ruins, com dá para perceber) sem vergonha de ninguém já que não tinha ninguém de quem sentir vergonha.

E, pensando bem, esta música do site, que deixei em background, está me deixando enjoada.

 

21/02/2011

71 :: IR DO AEROPORTO, COM UM PIT STOP…

por 1000 coisas para fazer antes de morrer

…NO HOTEL, DIRETO PARA MONTJUÏC, EM BARCELONA

Jogar as malas sobre a cama, se trocar (ou não) e sair a pé, reconhecendo o terreno. É meu ritual na chegada em uma cidade nova. É infalível, seja para um sorvete a meia noite ou um passeio mais elaborado, se o voo chegar cedo.

Chegamos em Barcelona mais ou menos uma da tarde. Dia lindo, temperatura perfeita, próxima dos 20°.
O céu azul de doer nos convidava para começar por Montjuïc, o morro ao sudeste da cidade, que abriga o Museu Nacional d’Art de Catalunya, jardins, museus, um castelo, muita história…e uma vista linda da cidade.

Pequenos trechos a pé, de metrô, de funicular e o simpático teleférico nos levaram rapidinho ao topo da cidade.

Uma visitinha leve ao Castell de Montjuïc e seu telhado de onde ficamos um tempão olhando a cidade…

…o céu e o mar que banha Barcelona.

Em um jardim, de onde se avista um bairro cheio de prédios e um outro monte, compramos duas granitas (a versão catalã da nossa raspadinha) e ficamos curtindo, vendo um grupo de amigos, com suas famílias e filhos pequenos. Eles comiam, tomavam vinho, cantavam e tocavam violão.

Ouvindo aquelas músicas de ritmo cigano fiquei imaginando se alguém da minha família teria habitado aqueles montes em alguma época distante.

Esta foi minha primeira Barcelona.

 

 

 

 

 

09/01/2011

67 :: ANDAR (E COMER) NO MERCADO…

por 1000 coisas para fazer antes de morrer

… LA BOQUERIA, EM BARCELONA

O La Boqueria é bonitão, barulhento, divertido e fica na Rambla que por si só já é bem alto astral.

Tudo bem, é um programa manjado, mas é dos bons para quem gosta de mercadão, de ver comida e tal.

As mercadorias muito bem organizadas, expostas com primor.

Coisa bonita de ver. Limpinho. Os pescados são muito frescos! Nenhum vestígio de cheiro ruim.

Será que eles vendem tudo isso no mesmo dia? Acho que sim, né?

Uma infinidade de tipos de cogumelos.

Frutas variadas, docinhos…

Paraíso dos gourmets e para quem gosta de jamón.


Ah, levamos lascas para fazer piquenique no quarto, a noite.

Enfim, o La Boqueria é mesmo um programão. Se for na hora do almoço, melhor.

Bem que tentamos comer no Pinotxo, bar bem frequentado (Ferran Adriá dá a pinta por lá) mas a comida tinha acabado (tarde demais para o almoço, cedo demais para o jantar…coisas da Catalunha).

É. Não foi uma troca injusta, não consigo imaginar quanto poderia ter sido melhor no bar famoso.
O nome do lugar? Vixe. Não lembro. Olhando com muito esforço e boa vontade na foto tem um “Bon App…” gravado no prato. Não sei se tem a ver com o nome do lugar ou uma saudação educada. Meu Deus, quanta bobagem! Achei o bar. É o Kiosko Universal. Tem até o mapinha do danado, é o 691, bem no pé do mapa.

Bom apetite?! A gente já estava babando com aquele aspargo fresquinho sendo grelhado ali na nossa frente, apenas com sal grosso, com uma tampa de panela por cima, crocante e perfeito. Mais uns peixinhos, camarões (que eu não curto muito não) e uma coisa que eu morria de vontade de comer desde que tinha visto numa foto da Suz, do Segura em desemprego: a navajas, um molusco compridinho e delicioso.

Ah, o cardápio não foi escolhido, era o que tinha. Não tenho do que reclamar.

Almoço sensacional, não chega a ser nenhuma pechincha mas é quase baratinho…hehehe.

O La Boqueria é um prédio histórico simpático (não tão bonitão quanto o Mercadão de São Paulo).
Fica do lado direito, quase no meio da Rambla, para quem desce. E tem o site, né? boqueria.info
Eu iria antes de morrer. E a Espanha é um daqueles destinhos que sempre tem uma promoção ou passagem baratinha.

16/05/2010

20 :: FAZER COMPARAÇÕES

por 1000 coisas para fazer antes de morrer

…ENTRE CIDADES E MULHERES

Gostar ou não gostar de um lugar é como se apaixonar por uma pessoa. As vezes, sem nenhum motivo especial pega. Em outras tem tudo pra dar certo, mas não vai pra frente.
Estive pensando nisso, em como as cidades parecem pessoas – mais especificamente com mulheres – com sua vida própria, com suas tensões, interesses, humores, charme e beleza.

ROMA
É uma senhora, das chiques.
Mas não se iluda, esta senhora pode pirar (com a ajudinha de algumas taças de vinho, lógico). Ela não chega a se descontrolar totalmente e nunca perde o charme, qualidade que lhe é nata.
É daquelas senhoras que envelhecem bem, com uns toques muito sutis aqui e ali, só pra dar uma ajudinha para o que já é bonito. O grande cuidado é não deixar claro que houve uma intervenção, afinal, ela acredita que deve-se envelhecer com muita dignidade.
Ela se veste bem, a danada,  e mesmo sendo uma senhora ainda tem aquela cruzada de perna estilo Sophia Loren, só pra não perder o encanto e se lembrar que é (e sempre será) uma bela Donna.

BARCELONA
Uma mulher moderna, não muito velha – nem muito nova.
Ela usa óculos de aro grosso, quadrado e escuro. É meio petista, sabe? Seu único defeito. Tem lá seus ideais e faz o tipo meio anti social em alguns meios (característica polêmica esta).
Talvez você não se apaixone por ela de cara. Ela não chama a atenção pela beleza mas quanto mais você a conhecer mais vai se encantar. Três dias intensos serão o suficiente para nascer uma história de amor ou pelo menos uma paixão. É que esta é uma daquelas inteligentes – e interessantes.
Ela sabe das coisas, se veste de um modo pouco convencional mas só o que lhe cai bem (e mesmo se não lhe caísse não liga muito para a opinião alheia) só não abre mão do seu estilo.
E vou logo avisando, ela pode ser um pouco agressiva a primeira vista, a intenção é mesmo espantar alguns indesejáveis. Mas é uma mulher do mundo e se você se der ao trabalho vai perceber que pode ser bem simpática.
Uma informação muito importante: ela não dorme.

PARIS
Esta mulher é top, top model. Magérrima. Não é falta de confiança (longe disso!) mas ela faz questão de estar dentro de alguns padrões.
É bem possível que você se apaixone de cara pela sua beleza e seus clássicos olhos azuis. Ninguém é perfeito, o defeito dela é ser um pouco superficial mas nem faz questão de ser diferente disso. É bem feliz com o que tem e não inveja nenhum atributo que outra possa ter. Exibida, só pode se dar ao luxo de fazer isso porque é bonita.

MARRAKESH
Esta mulher é bem complicada. Só dá pra conhecê-la se for aplicado. Por baixo de panos e panos existe uma mulher extremamente interessante. Aparentemente é um pouco recatada e tem uma inclinação ao puritanismo, mas é só fachada. Não espere dela grandes noitadas, não é dada a isso por cuidar muito bem de sua imagem.
Aposte em seus temperos picantes, se não for acostumado cuidado, pode até te fazer mal. Mas depois que se acostuma pode virar um vício e um dia você pode se pegar suspirando de saudades dela.

SÃO PAULO
É uma mulher louca, de múltiplas personalidades e bipolar. Uma verdadeira perdição.
Ela muda de cara toda vez que precisa e isso faz dela uma pessoa pouco confiável. Pode ser patricinha, suburbana, perua, sacoleira, chique e barraqueira! Ela só se preocupa com uma coisa: estar na moda. Pronto, São Paulo é uma drag queen!