Posts tagged ‘Paris’

06/07/2011

84 :: UMA HISTORINHA SOBRE UMA CAIXINHA DE MÚSICA…

por 1000 coisas para fazer antes de morrer

…COMPRADA EM PARIS

La vie en rose. Láááááá, lá-lá-lá-lá-lá-lá, lá-lá-lá-lá-lá-lááá, lá-lá-lá-lá-lá-lááááá…
Óbvio demais mas esta foi minha trilha sonora mental na única vez em que estive em Paris.
Eu estava feliz por estar lá, Paris sempre esteve nos meus sonhos infantis e eu estava curtindo cada minuto como se fosse a última (ou primeira) mordida de um chocolate maravilhoso.

Eu cantarolei esta música subindo a Torre Eiffell, na Ponte Neuf, em Montmartre, no Trocadero…

{1.Lálálá no ouvido do bofe, 2. Lálálá em pensamento 3. Lálálá no trocadero}

E um belo dia, numa rua estreita bem ao lado da Catedral Notre-Dame, vimos a coisa mais romântica do mundo! Uma lojinha cheia de mini caixinhas de música. Caixinhas sem frescuras, simples mecanismos de tocar música. Peguei uma (adivinha qual?), comecei a tocar, meus olhos se encheram de lágrimas e já imaginei que momento romântico, meu marido comprando uma e me dando ali mesmo de presente…esperei mais uns 3 minutos, nada. Ah, melhor ainda, ele vai me dar uma a noite, no jantar, ou no quarto…que româââââââânticoooooo! De qualquer maneira não vou comprar, não quero desmanchar a surpresa. Mas deixei ele livre para poder comprar escondido de mim, lógico.

Saí do meu devaneio com meu marido em seu melhor ataque Homer Simpson: “Vamu embora mulé, tô cum fomi!”.

Fomos embora, a tarde passou, momentos perfeitos passaram, o jantar passou e…e puft! Nada de caixinha de música. O bobo perdeu a chance de nos (me) proporcionar o momento mais romântico parisiense que 90 entre 100 mulheres gostariam de ter.

A viagem prosseguiu, esqueci o assunto. Ok, quase esqueci. Admito que tive umas recaídas em alguns momentos de crise conjugal em que os homens são insistentemente lembrados de como eles são insensíveis e sem coração.

Tudo isso faz tempo.

O que não faz tanto tempo foi que uma noite, no carro, depois de me pegar no trabalho, ele me estende um pacote. Abro. Não deu para conter o choro quase infantil ao ver na minha frente um micro mecanismo musical, tão pequeno, enrolado no papel amassado de uma certa loja ao lado da Notre-Dame…

Foi tão especial como se tivesse sido na hora que eu estava esperando. Não, foi mais especial. Fo surpresa mesmo. Uma linda surpresa de quem se importa…

ps1. um amigo do meu marido foi passar a lua-de-mel em Paris. Meu marido indicou a loja, disse que não era para deixar de comprar uma para sua mulher e que foi um erro não ter feito isso. E de quebra disse: “Se você for mesmo, traga uma para mim, por favor?”. Enfim, uma maneira muito elegante de se fazer uma encomenda, de viagem, tão específica.
Uma exceção! Quero lembrar aqui que pedir encomendas de viagens é algo quase proibido, com exceção das encomendas de free shop, lógico. E não tem nada demais dizer que não achou, que não deu tempo, que não estava a fim.

ps2. acho que o lugar é este Paris Forever.
Vai este ângulo, indo para a Notre-Dame.
Tem este ângulo, melhorzinho, de quem vem da Notre-Dame.
Juro que não lembrava que era esta espelunca! Mas pode ser o L’Abiside ou o Esmeralda, igualmente espeluncas e que devem vender o mesmo tipo de tranqueiras.

ps3. compramos cachorro quente no Brasserie Esmeralda, muito “mais ou menos”. Comemos atrás da igreja, foi divertido.

04/07/2011

83 :: CATEDRAL DE SAINTE…

por 1000 coisas para fazer antes de morrer

 …CHAPELLE, EM PARIS

Os raios de luz entraram pela minha retina sem pedir licença, sem perguntar se eu estava preparada para tanta, tanta beleza. Cara, que lugar esta Sainte Chapelle, que luz linda entrando pelos vitrais. Que má-gi-co.

Me dei conta que meu marido ficou me esperando lá fora – é que combinamos que a partir de um certo estágio da viagem (qualquer viagem) eu não tenho mais o poder de dissuadí-lo em suas trocas: igreja por café com revista na esquina ou museu por café e jornal em outra esquina, ou praça. As vezes são mesmo trocas bem justas e necessárias, concordo. Mas esta não era uma igreja qualquer.

Dei ré e voltei pela mesma escada caracol para encontrá-lo e convencê-lo a entrar comigo. Eu gosto de dividir estas experiências, sabe? Ele ficou surpreso em me ver, principalmente porque que eu estava dando uns pulinhos bestas e falava em alta rotação, muito acima do que um ser humano normal poderia ter obrigação de entender…patético. Porém valeu a pena voltar. O que seria dele se não tivesse uma mulher tão incrível, tão interessada em lhe apresentar coisas lindas nesta vida…

A capela gótica de Sainte Chepelle é linda, linda, linda. Fica meio escondida, junto com a Palácio da Justiça na Île de la Cité.

As paredes são quase todas cobertas pelos divinos vitrais. No fim, fica parecendo um vitral só. As rosáceas são tão elaboradas…tão, tão… Bonitas? Lindas?

Estou aliviada por ter ido antes de morrer. Agora, preciso viver mais para voltar lá, desta vez assistindo a um concerto.

ps. O “porão” da capela é lindo também, mas não tenho fotos de lá.

 
Sainte Chappelle
Aberto todos os dias

1 março a 31 outubro: 9:30 as 18
1 novembro a 28 fevereiro: 9 as 17
Aberto à noite às quartas-feiras
15 maio a 15 setembro
Última entrada às 21:00.
Fechado
Entre 13 e 14 horas durante a semana
1 de janeiro, 1 de maio e 25 de Dezembro
13/03/2011

76 :: COMER UM CACHORRO QUENTE…

por 1000 coisas para fazer antes de morrer

…NOS FUNDOS DA CATEDRAL DE NOTRE-DAME, EM PARIS

A NOTRE DAME DE UM ÂNGULO MENOS CONHECIDO

A frase é familiar: “Hummm, aquele café ou pastel ou doce ou sanduba, etc) de X lugar…”
No caso o sujeito foi o cachorro quente de Paris.

Mensagem recebida e registrada. Daí acontece Paris nas férias, um tempão andando pelas ruas deliciosas de Île de la Cité (uma ilhota do Rio Sena de mais ou menos 1km), uma fominha boa…
…um jardim bem maneiro nos fundos da Catedral de Notre-Dame, folhas amarelinhas de outono e – ah! – uma espelunca vendendo cachorro quente parisiense. Pronto.

O CENÁRIO. MELHOR QUE COMER VENDO TV

TRANQUILO...

O cachorro quente nem era grande coisa – além de estar meio frio. Mesmo assim foi a paradinha charmosa do dia e uma coisa bem divertida para se fazer antes de morrer.

NÃO É PIADA DE CACHORRO QUENTE. CACHORRO MAIS FOFO EM FRENTE AO LUGAR DO CACHORRO QUENTE

 

03/06/2010

29 :: SE IRRITAR COM ANALOGIAS…

por 1000 coisas para fazer antes de morrer

…QUE SE FAZEM COM AS ATRAÇÕES TENTANDO FAZÊ-LAS PARECER DIFERENTES (OU MELHORES) DO QUE SÃO!

Vou fazer uma listinha de coisas feias, muito feias que as pessoas fazem pra fazer as outras de trouxas:

Recife antigo, a Veneza Brasileira: Pára! Dá mesmo pra comparar uma coisa com a outra?
San Gimignano, a New York medieval: Tudo por causa de um suposto skyline “igualzinho”. San Gimignano não é NY e NY não é San Gimignano, ponto final. São coisas lindas – e diferentes.
Serras Gaúchas, a Toscana Brasileira: Adoro as Serras Gaúchas, mesmo. Mas daí pra chamar de Toscana já é exagero, né?
Caribe Brasileiro: Aff, são vários os lugares com mar verdinho que se auto intitulam Caribe brasileiro. O único lugar de areia branquinha e mar azulzinho que já vi neste país foi na Ilha do Campeche, em Florianópolis, mas a água é um frio do cão. O Brasil tem mares lindos, águas verdes, mata atlântica…tem até Noronha, de origem vulcânica. Mas a gente não tem nada de Caribe.

Também não gosto de:
Strogonofe de chocolate (strogonofe é prato salgado, qualquer outra coisa parecida e feita com chocolate chama e sempre se chamará pavê ou torta), lazanha de pão (lazanha pra mim consiste em massa de macarrão em tamanho grande, recheio com queijo e molho – tudo ao forno, please – pão com recheio é sanduíche, se vai ao forno é misto quente), carpaccio de abacaxi (carpaccio que se preze é de carne, no máximo peixe. O resto podemos chamar de “tiras bem fininhas de”)

Assinado: a chatinha, que não tem nada contra as falsas Paris e Veneza de Las Vegas. Não se levando a sério, pode tudo!

 

16/05/2010

20 :: FAZER COMPARAÇÕES

por 1000 coisas para fazer antes de morrer

…ENTRE CIDADES E MULHERES

Gostar ou não gostar de um lugar é como se apaixonar por uma pessoa. As vezes, sem nenhum motivo especial pega. Em outras tem tudo pra dar certo, mas não vai pra frente.
Estive pensando nisso, em como as cidades parecem pessoas – mais especificamente com mulheres – com sua vida própria, com suas tensões, interesses, humores, charme e beleza.

ROMA
É uma senhora, das chiques.
Mas não se iluda, esta senhora pode pirar (com a ajudinha de algumas taças de vinho, lógico). Ela não chega a se descontrolar totalmente e nunca perde o charme, qualidade que lhe é nata.
É daquelas senhoras que envelhecem bem, com uns toques muito sutis aqui e ali, só pra dar uma ajudinha para o que já é bonito. O grande cuidado é não deixar claro que houve uma intervenção, afinal, ela acredita que deve-se envelhecer com muita dignidade.
Ela se veste bem, a danada,  e mesmo sendo uma senhora ainda tem aquela cruzada de perna estilo Sophia Loren, só pra não perder o encanto e se lembrar que é (e sempre será) uma bela Donna.

BARCELONA
Uma mulher moderna, não muito velha – nem muito nova.
Ela usa óculos de aro grosso, quadrado e escuro. É meio petista, sabe? Seu único defeito. Tem lá seus ideais e faz o tipo meio anti social em alguns meios (característica polêmica esta).
Talvez você não se apaixone por ela de cara. Ela não chama a atenção pela beleza mas quanto mais você a conhecer mais vai se encantar. Três dias intensos serão o suficiente para nascer uma história de amor ou pelo menos uma paixão. É que esta é uma daquelas inteligentes – e interessantes.
Ela sabe das coisas, se veste de um modo pouco convencional mas só o que lhe cai bem (e mesmo se não lhe caísse não liga muito para a opinião alheia) só não abre mão do seu estilo.
E vou logo avisando, ela pode ser um pouco agressiva a primeira vista, a intenção é mesmo espantar alguns indesejáveis. Mas é uma mulher do mundo e se você se der ao trabalho vai perceber que pode ser bem simpática.
Uma informação muito importante: ela não dorme.

PARIS
Esta mulher é top, top model. Magérrima. Não é falta de confiança (longe disso!) mas ela faz questão de estar dentro de alguns padrões.
É bem possível que você se apaixone de cara pela sua beleza e seus clássicos olhos azuis. Ninguém é perfeito, o defeito dela é ser um pouco superficial mas nem faz questão de ser diferente disso. É bem feliz com o que tem e não inveja nenhum atributo que outra possa ter. Exibida, só pode se dar ao luxo de fazer isso porque é bonita.

MARRAKESH
Esta mulher é bem complicada. Só dá pra conhecê-la se for aplicado. Por baixo de panos e panos existe uma mulher extremamente interessante. Aparentemente é um pouco recatada e tem uma inclinação ao puritanismo, mas é só fachada. Não espere dela grandes noitadas, não é dada a isso por cuidar muito bem de sua imagem.
Aposte em seus temperos picantes, se não for acostumado cuidado, pode até te fazer mal. Mas depois que se acostuma pode virar um vício e um dia você pode se pegar suspirando de saudades dela.

SÃO PAULO
É uma mulher louca, de múltiplas personalidades e bipolar. Uma verdadeira perdição.
Ela muda de cara toda vez que precisa e isso faz dela uma pessoa pouco confiável. Pode ser patricinha, suburbana, perua, sacoleira, chique e barraqueira! Ela só se preocupa com uma coisa: estar na moda. Pronto, São Paulo é uma drag queen!