Posts tagged ‘praia’

01/07/2010

37 :: VER O MAR AZUL…

por 1000 coisas para fazer antes de morrer

…DO CARIBE

Fotos de WALDIRPC

Ai, o azul, o tão sonhado azul do Caribe é…azul! Simplesmente azul, nada mais nada menos que azul. Tão azul que eu nem imaginava com seria por nunca ter visto um mar assim, tão azulzinho.

Do aviãozinho já dava pra ver o potencial da coisa.

Olha o mar azul escuro de Caracas indo e o mar azulzinho de Los Roques

No primeiro dia achei meio verdinho (lindo, mas verdinho)…

A loca

...o que uma pessoa não é capaz de fazer de férias...

Nananinanão, não era a dança da bundinha...

...mas não chega a tanto, não era a dança da bundinha, juro.

…mas depois conheci outros tons e comecei a dar nomes pra eles: azul esverdeado…

Paraíso. É pra cá que a gente vem quando morre?

…azulzinho…

Bonito isso, não?

…azul piscina…

Piscina aquecida, lógico.

…azul turquesa…

Ai, dói o olho! Hehehe.

…azul royal…

Escura e super, super transparente!

…e azul, simplesmente azul, límpido e transparente.

Eu sei, irrita de tão bonito.

E os tons vão mudando, te desafiando a criar novos nomes que não estão na tua cartela mental de cores.

Voa passarinho, voa....

E, enfim, você percebe que pode passar um tempo enorme pensando e pensando até mergulhar na profunda reflexão sobre a porcentagem de magenta do céu, conhecidamente azul também, mas agora parecendo mais roxo que tudo.

Francisquì Abajo

Francisquí Abajo. Nomes e mais nomes de praias lindas - diferentes uma das outras

Sim, todo o meu desejo de mar transparente e azul foi completamente satisfeito nas águas quentes de Los Roques, na Venezuela, meu primeiro Caribe.

Um azul para se VER ANTES DE MORRER.

Anúncios
18/06/2010

36 :: SONHAR COM O MAR AZUL…

por 1000 coisas para fazer antes de morrer

…DO CARIBE

By Jacobo Reyes Galban (flickr whl.travel)

Beeeem em cima, a esquerda, pedacinho do teco-teco...ui! (foto by Jacobo Reyes Galban, Flickr whl.travel)

Faz tempo que sonho com o mar azul do Caribe, muito mesmo. Mas daí a gente acaba fazendo as contas e vendo que dava pra ficar 15 dias (ou mais) aqui ou ali, e o Caribe vai ficando para trás.
Até que um dia, por conta de barbadas – e das milhas – estou quase lá!

Já fiz testes a mil imaginando qual seria meu Caribe: ABC (Aruba, Bonaire e Curaçao)? Cancún? República Dominicana?
(e tem gente explicando isso a exaustão na internet como a Guta, garota prodígio do Vambora ou o Ricardo Freire do famoso Viaje na Viagem).
Enfim, descobri! O meu Caribe é o Caribe que posso pagar a-go-ra! É Los Roques, na Venezuela. Um lugar onde não vou ter lá muito o que fazer e vou de verdade descansar, tomar banho de sol e mar sem nenhuma aflição de estar “perdendo” algo, ou alguma atração incrível logo ali. Minha grande atração será acordar, comer, tomar sol, nadar, comer, tomar sol, jantar, andar, dormir e você sabe…fotografar, hehehe.

Ainda tem muita gente que nunca ouviu falar desta ilhazinha deste arquipélago no mar Caribenho, onde só se chega de teco-teco. Mas no meio das publicações turísticas e dos viajantes mais ousados Los Roques já é um destino manjado e teve gente que já fez isso muito bem e há muito mais tempo.
Viaje na viagem do Ricardo Freire, de novo ele, com sua bóia no mar azul, que abre seu blog, faz a gente sonhar e ter esperança nos dias de fechamentos mais infernais. E também porque ele escreveu o livro que mudou minha maneira de enxergar viagens (pronto, acabou minha seção babação de ovo).
• Travel Forever da Carol Wiese, que explica direitinho, timtim por tim tim, o quão viável e descomplicada esta viagem pode ser.

É isso, agora vou poder dizer (por experiência própria) se existe alguma coisa no Brasil que deva ser chamada de Caribe Brasileiro. E quando for para a Polinésia vou poder dizer se Los Roques é a Polinésia na América do Sul…urgh.

Hasta la vista!

23/04/2010

9 :: BUNDAR…

por 1000 coisas para fazer antes de morrer

…MESMO RESPIRANDO MINUTOS EM EUROS

Este post combina com esta música ó:

É parte da minha trilha sorona em Fernando de Noronha e quando vejo esta foto a música vem na hora, igual novela.

Senhoras e senhores, na foto abaixo vemos a estrelada Praia do Leão. Linda, menos famosa que as outras e também um pouco (um tiquinho só) menos bonita.

Lá tive um momento mágico, um momento de não fazer nada, apenas olhar pra tudo e pensar: QUE SORTE – algo que só aprendi fazer depois dos 30 e poucos.

Admito, vindo de mim isto é um luxo. Ainda mais num lugar que os caras pensam que estão na Europa, cobrando tudo como se fosse, ou mais. Eu hem…

18/04/2010

7 :: TOMAR UM BANHO DE RIO OU MAR…

por 1000 coisas para fazer antes de morrer

…COM BIOLUMINESCÊNCIA (OU MAR LUMINOSO)

A cena se passa em uma praia no litoral norte de São Paulo que termina em um rio, que deságua no mar. É quase de noite, os últimos minutos do lusco fusco de um quente dia do outono brasileiro.

Cinco amigos resolvem dar um mergulho nas águas calmas do laguinho de água salobra que se forma no canto do rio. Fomos entrando, devagar, nos acostumando com a temperatura da água. Primeiro um, depois outro, hesitante. Criei coragem e também mergulhei nas águas escuras do rio. Frio.

Parece cena de filme de terror? Mas não é. É o início de uma história que estas cinco cabeças jamais esquecerão.

Dos cinco apenas três entraram na água e ficamos lá, conversando, com a água na altura do peito.
De repente se ouve um grito: “Cara, olha a água!”.
Primeiro percebi uns pontinhos luminosos, seria reflexo da casinha distante? Não. Não parecia isso.
Esquisito, os pontinhos aumentavam quando a gente agitava a água com as mãos. Mais uma vez…mais pontinhos, parece purpurina! E se agitar mais? Aumenta! E se girar? Nooooooooosssaaaaaaaa, incrível o efeito. Que bizarro! Gritaria geral e os cinco caíram na água de vez, como crianças! O efeito, que tinha começado tímido, estava abundante e muito luminoso. Parecia que tinha iluminação por baixo dos nossos pés!

Foi mágico, emocionante e feliz.

Ficamos ali um bom tempo rindo, fotografando e filmando com a camera do celular (sem sucesso como se percebe nas imagens a seguir).

Inventamos coreografias para ver o efeito luminoso azulado em torno dos nossos corpos e ficamos curtindo, por um tempão, o fenômeno sobre o qual eu já tinha ouvido falar: bioluminescência, mais conhecido como mar luminoso. Algo a ver com algas, planctons, temperatura, alcalinidade, corpos unicelulares e resíduos orgânicos. Espero que não, mas pode até ter alguma coisa a ver com poluição.

Nos filminho que fizemos também não se vê nada, apenas minhas anotações e a euforia de pessoas felizes em estar vendo um fenômeno relativamente raro.

Mas neste vídeo aqui dá pra entender um pouco como é.

Na volta pra casa ninguém acreditou na gente. Só um pouquinho.
A nossa euforia era muita, beirava a histeria. O clima banquinho-violão-joãogilberto da varanda não combinava com nosso estado emocional. Voltamos pro rio quase meia-noite pra provar o que tínhamos visto mas já tinha acabado.

Verdadeiramente uma COISA PARA SE VER ANTES DE MORRER.